O Papel do Jurista na Construção de Um Novo Paradigma Social Ante a Crise Ecológica e Ambivalência Humana

Autores

DOI:

https://doi.org/10.37497/revistacejur.v11i00.406

Palavras-chave:

Crise ecológica, Paradigma filosófico-dialético, Juristas, Sustentabilidade

Resumo

Contextualização do tema: A presente pesquisa tem como temática explorar a paradoxal crise ecológica, onde a humanidade persiste em comportamentos destrutivos apesar da ameaça iminente.

 Objetivos: O foco está na análise dessa incoerência, examinando raízes históricas e no papel dos juristas como agentes da transformação. Como objetivo estuda-se a contradição entre a racionalidade humana e a destruição ambiental, especialmente na era do paradigma científico moderno.

 Metodologia: Quanto à metodologia da pesquisa aplicou-se o método indutivo com acionamento das técnicas do referente e fichamento.

 Resultados: Conclui-se pela proposição de substituir esse paradigma por uma abordagem filosófica-dialética, reconhecendo a interação sinérgica entre o homem e a natureza. Afinal, os Juristas têm papel crucial, regulamentando interações sob o novo paradigma e promovendo conscientização por meio da pedagogia social. Sugere-se a educação ambiental abrangente, políticas rigorosas, incentivos para práticas sustentáveis e engajamento da sociedade civil. Em suma, investiga-se a desconexão entre razão humana e proteção ambiental, advogando por uma nova perspectiva filosófica e destacando o papel dos juristas na construção de um futuro sustentável, com sugestões para a mudança de mentalidade e ação coletiva.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Cláudia da Silva Antunes de Souza, Universidade do Vale do Itajaí – UNIVALI, Santa Catarina

Doutora e Mestre em Derecho Ambiental y de la Sostenibilidad pela Universidade de Alicante – Espanha, Mestre em Ciência Jurídica pela Universidade do Vale do Itajaí – UNIVALI, Professora Permanente no Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ciência Jurídica, nos cursos de Doutorado e Mestrado - Universidade do Vale do Itajaí – UNIVALI. Coordenadora e pesquisadora do Projeto de Pesquisa intitulado “aportes tecnológicos das smart cities à consolidação de cidades sustentáveis: técnicas e métodos para planejar a implantação no contexto brasileiro” aprovado através da Chamada CNPq/MCTI/FNDCT – UNIVERSAL - Nº 18/2021.Advogada e Consultora Jurídica.

Josemar Sidinei Soares, Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI), Santa Catarina

Doutor em Filosofia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Mestre em Educação pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) e em Ciência Jurídica pela Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI). Professor no programa de pós-graduação stricto sensu em Ciência Jurídica da UNIVALI. Itajaí – SC, Brasil. Professor na Antonio Meneghetti Faculdade e coordenador do laboratório ‘Hard Cases’.  Como docente atua principalmente na linha de pesquisa Estado, Transnacionalidade e Sustentabilidade, vinculada à área de concentração Principiologia Constitucional e Política do Direito.

Referências

Adorno, Theodor e Max Horkheimer. 1985. Dialética do Esclarecimento: fragmentos filosóficos. Rio de Janeiro: JorgeZahar Ed.

Aristóteles. 2006. Apolítica.São Paulo: Martins Fontes.

Aristóteles. 2010. Sobre a Alma.Lisboa: Imprensa Nacional – Casa da Moeda.

Azevedo, Plauto Faraco de. 2008. Ecocivilização: ambiente e direito no limiar da vida. São Paulo: Editora Revista dos Tribunais.

Boff, Leonardo. 2016. Sustentabilidade: o que é–o que não é. Petrópolis: Vozes.

DESA. 2022. Informe de los Objetivos de Desarrollo Sostenible 2022. Nova Iorque: Lois Jensen.

Descartes, René. 1996. Discurso do método. São Paulo: Martins Fontes.

Grün, Mauro. 2006. Decartes, Historicidade e Educação Ambiental. In Pensar o Ambiente: bases filosóficas para a Educação Ambiental, organizado por Isabel Cristina Moura de Carvalho et al, 63-77. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, UNESCO.

IPBES. 2016. The assessment report of the Intergovernmental Science-Policy Platform on Biodiversity and Ecosystem Services on pollinators, pollination and food production.Bonn: Intergovernmental Science-Policy Platform on Biodiversity and Ecosystem Services.

Jonas, Hans. 2006. O princípio da responsabilidade: ensaio de uma ética para a civilização tecnológica. Rio de Janeiro: Contraponto e Ed. PUC-Rio.

Japiassu, Hilton. 1995. Francis Bacon: o profeta da ciência moderna. São Paulo: Letras & Letras.

Kolbert, Elizabeth. 2015. A sexta extinção: uma história não natural. Rio de Janeiro:Intrínseca, 2015.

Leibniz, Gottfried Wilhelm. 1987. Novos ensaios sobre o entendimento humano. São Paulo: Nova Cultural.

Locke, John. 1987. Ensaio acerca do entendimento humano. São Paulo: Nova Cultural, 1987.

Melo, Osvaldo Ferreira de. 2000. Dicionário de Política Jurídica. Florianópolis: OAB-SC.

Meneghetti, Antonio. 2017. Antonio Meneghetti sobre... Projeto Terra. Recanto do Maestro: Fundação Antônio Meneghetti.

Navarro, Gabriela Cristina Braga. 2014. Hermenêutica filosófica e direito ambiental: concretizando a justiça ambiental. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Santa Catarina.

Ost, François. 1995.A natureza à margem da lei: a ecologia à prova do direito. Lisboa: Instituto Piaget.

Platão. 2017. A República. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkia.

Santana, Heron José de. 2006. Espírito animal e o fundamento moral do especismo. Revista Brasileira de Direito Animal 1,n. 1 (janeiro): 37-65.https://periodicos.ufba.br/index.php/RBDA/article/view/10240.

Severino, Antonio Joaquim. 2006. Bacon: a ciência como conhecimento e domínio da natureza. In Pensar o Ambiente: bases filosóficas para a Educação Ambiental, organizado por Isabel Cristina Moura de Carvalho et al, 51-61. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, UNESCO.

Soares, Josemar Sidnei. 2018. Consciência de Si, Direito e Sociedade. São Paulo: Intelecto.

Souza, Maria Cláudia Silva Antunes de, Josemar Sidnei Soares e Gabriel Real Ferrer. Política jurídica, vida de consumo e pandemia: a responsabilidade do intelectual jurídico. Revista Jurídica – Unicuritiba 05, n. 62 (dezembro): 538-565. http://dx.doi.org/10.26668/revistajur.2316-753X.v5i62.4972.

UNU INWEH. 2023.Global Water Security 2023 Assessment. Canada: United Nations University Institute for Water, Environment and Health.

Downloads

Publicado

2023-08-18

Como Citar

ANTUNES DE SOUZA, M. C. da S. .; SOARES, J. S. . O Papel do Jurista na Construção de Um Novo Paradigma Social Ante a Crise Ecológica e Ambivalência Humana. Revista do CEJUR/TJSC: Prestação Jurisdicional, Florianópolis (SC), v. 11, n. 00, p. e0406, 2023. DOI: 10.37497/revistacejur.v11i00.406. Disponível em: https://revistadocejur.tjsc.jus.br/cejur/article/view/406. Acesso em: 24 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos Nacionais