Para uma Cultura do Consenso: a necessária reforma nos cursos de direito

Sabrina Jiukoski da Silva

Resumo


Este artigo analisa a cultura da sentença, fortemente presente na sociedade brasileira, e, a partir das recentes alterações legislativas e da realidade do ensino do Direito no Brasil, desenvolve propostas para mudanças nas grades curriculares dos cursos jurídicos. Conclui-se, assim, pela adoção de uma metodologia de ensino participativo preocupada em formar profissionais críticos e reflexivos do Direito, juntamente com a inserção de disciplinas que propiciem a mudança de mentalidade dos operadores do Direto para construção de uma cultura do consenso. Disciplinas que tratem adequadamente da mediação e da conciliação.

Palavras-chave


Cultura da sentença. Cultura do consenso. Ensino do Direito

Texto completo:

PDF

Referências


AZEVEDO, Plauto Faraco de. Crítica à dogmática e hermenêutica jurídica. Porto Alegre: Sergio Antonio Fabris, 1989.

BISSOLI FILHO, Francisco. Das reformas dos Cursos de Direito às reformas do Ensino Jurídico no Brasil: A importância dos professores e alunos na discussão das reformas e no processo ensino-aprendizagem. In: Educação Jurídica. Horácio Wanderlei Rodrigues, Edmundo Lima de Arruda Júnior, organizadores. 3. ed. corr. Florianópolis : FUNJAB, 2014, p. 9-50.

BRASIL. Ministério da Educação. CNE revisa diretrizes do curso e recebe sugestões da OAB. Disponível em: . Acesso em: 25 mai. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Resolução CNE/CES 09/2004. Dispõe sobre as diretrizes curriculares para a graduação. Disponível em: . Acesso em: 08 jun. 2017.

CALMON, Petronio. Fundamentos da mediação e da conciliação. Rio de Janeiro: Forense, 2007.

CAPPELLETTI, Mauro; GARTH, Bryant. Acesso à Justiça. Tradução de Ellen Gracie Nortfleet. Porto Alegre: Sérgio Antônio Fabris Editor, 1988.

CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA. Mediação e Conciliação. Disponível em: < http://www.cnj.jus.br/programas-e-acoes/conciliacao-e-mediacao-portal-da-conciliacao>. Acesso em: 12 mai. 2019.

CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA. Justiça em número 2018. Disponível em:

< http://www.cnj.jus.br/files/conteudo/arquivo/2018/08/44b7368ec6f888b383f6c3

de40c32167.pdf > . Acesso em 19 mai. 2019.

DINAMARCO, Candido Rangel. Os Institutos Fundamentais do Direito Processual. In: __________. Fundamentos do Processo Civil Moderno. Tomo. I. 6 ed. São Paulo: Malheiros, 2010, p 245-298.

FÁVERO, Maria de Lourdes de Albuquerque. A Universidade no Brasil: das origens à Reforma Universitária de 1968. Educar, Curitiba: Editora UPFR, n. 28, p.17-36, 2006.

FIORELLI, José Osmir; FIORELLI, Maria Rosa; MALHADAS JUNIOR, Marcos Julio Olivé. Mediação e solução de conflitos: teoria de prática. São Paulo, Atlas, 2008.

FONSECA, Ricardo Marcelo. A Cultura Jurídica Brasileira e a Questão da Codificação Civil no Século XIX. In: Quaderni Fiorentini per la Storia del Pensiero Giuridico Moderno, n.º 33/34, Itália, 2004/2005, p.963/983. Disponível em: . Acesso em: 12 mai. 2019.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1997.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

GHIRARDI, José Garcez. O instante do encontro: questões fundamentais para o ensino jurídico. São Paulo: FGV Direito, 2012. Disponível em: . Acesso em: 12 mai. 2019..

GONÇALVES, Jéssica; SEGALA, Viviane Maria. Mudanças Legislativas no Paradigma Jurídico Tradicional da “Cultura da Sentença”: A Inserção do Modelo da “Justiça Consensual” por meio da Técnica da Mediação de Conflitos. In: Revista do CEJUR/TJSC: Prestação Jurisdicional, v. IV, n. 01, p. 225-239, dez. 2016. Disponível em: . Acesso em: 12 mai. 2019.

LANÇANOVA, Jonatas Luis. O poder judiciário em crise e a mediação como meio alternativo de solução dos conflitos. In: Revista Direito em Debate. Ano XXIII, nº.: 42, Juldez, 2014.

MAIA, Christianny Diógenes Maia; DIÓGENES, Thanara Rocha. Crítica ao ensino jurídico brasileiro. Ensino jurídico: os desafios da compreensão do direito. Estudos em homenagem aos 10 anos do curso de direito da Faculdade Christus. Fortaleza: Faculdade Christus, 2012.

MARTINS, Heitor Filipe Men; RUIZ, Ivan Aparecido. Arbitragem: incidência e os reflexos práticos na sociedade contemporânea. Universitas Jus, Brasília, v. 27, n. 3, p. 190-202, 2016.

OLIVEIRA, Juliana Ferrari de. Ensino jurídico: experiências inovadoras. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2010.

RISKIN, Leonard; WESTBROOK, James. Integrating Dispute Resolution into Satandard First-Year Courses: the Missouri Plan. Journal of Legal Education, vol. 39, . 4, 1989, p. 509-522.

RODRIGUES, Horácio Wanderlei. Ensino jurídico e direito alternativo. São Paulo: Acadêmica, 1993.

RODRIGUES JUNIOR, Walsir Edson. A prática da mediação e o acesso à justiça. Belo Horizonte: Del Rey, 2006.

SALLES, Carlos Alberto de. Arbitragem em Contratos Administrativos. Rio de Janeiro: Forense, 2011.

SALLES, Carlos Alberto de. Mecanismos alternativos de solução das controvérsias e acesso à justiça: inafastabilidade da tutela jurisdicional. In: FRUZ, Luiz (coord). AZEVEDO, André Gomma de (org.). Manual de Mediação Judicial. 5. ed. 2015. São Paulo: 2006.

SAMPAIO, Rubens G. Crise ética e a advocacia. Porto Alegre: Sergio Antônio Fabris Editor, 2000.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Para uma revolução democrática da justiça. São Paulo: Cortez, 2007.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Pela mão de Alice. O social e o político na pós modernidade. São Paulo: Cortez, 1997.

SCKELL, Soraya Nour. Os juristas e o direito em Bourdieu: a conflituosa construção histórica da racionalidade jurídica. Tempo soc., São Paulo, v. 28, n. 1, p. 157-178, Apr. 2016. Disponível em:

script=sci_arttext&pid=S0103-20702016000100157&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 14 mai. 2019.

SPENGLER, Fabiana Marion; SPENGLER NETO, Theobaldo. A crise das jurisdições brasileiras e italianas e a mediação como alternativa democrática da resolução de conflitos. In: SPENGLER, Fabiana Marion; SPENGLER NETO, Theobaldo (Org.). Mediação enquanto política pública: o conflito, a crise da jurisdição e as práticas mediativas. 1. ed. Santa Cruz do Sul: Edunisc, 2012.

VENÂNCIO FILHO, Alberto. Das arcadas ao bacharelismo. 2. ed. São Paulo: Perspectiva, 1982.

WAMBIER, Luiz Rodrigues; WAMBIER, Teresa Arruda Alvim. Anotações sobre a efetividade do processo. Revista dos Tribunais ano 92, n. 814, agosto, 2003.

WATANABE, Kazuo. Política Pública do Poder Judiciário Nacional para Tratamento Adequado dos Conflitos de Interesses. Disponível em: < http://www.tjsp.jus.br/Download/Conciliacao/Nucleo/ParecerDesKazuoWatanabe.pdf>. Acesso em: 15 mai. 2019.




DOI: https://doi.org/10.21902/rctjsc.v7i1.323

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista do CEJUR/TJSC: Prestação Jurisdicional. ISSN: 2319-0884
Tribunal de Justiça de Santa Catarina. CEJUR - Academia Judicial
Rua Almirante Lamego, 1386 - Centro - CEP 88015-601 - Florianópolis - SC

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.